domingo, 30 de novembro de 2008

História sobre o racismo

Olá! Hoje deixo-te aqui uma pequena historia sobre o racismo que encontrei na revista de hoje - Terra do Nunca, (do jornal de Notícias e Diário de Notícias).
A história é da autoria de Marta Tomé, que só tem 10 anos.

«Era um dia como todos os outros e a Mariana chegou à escola.
Viu um menino num canto triste, chegou perto dele e disse:
- O que tens?
Ele virou-se para ela se para ela e respondeu:
- Uns meninos chamaram-me chocolate, preto e feio.
Mariana, sem hesitar, perguntou:
- O que tens na cara?
- Pois, eu já sabia, são todos assim – disse o menino – ninguém gosta de mim.
- Não é nada disso, eu gosto de ti como és – disse a Mariana. – Vamos brincar juntos?

A Mariana e o menino brincaram muito.
A Mariana aprendeu que as diferenças não têm importância, porque apesar de ser diferente por fora, era um menino como todos os outros, era meigo, alegre, divertido e tinha sentido de humor.»

Espero que tenhas gostado e que acima de tudo vejas no exemplo das crianças sobre a sua "leitura da vida", o exemplo que também os adultos deveriam ver nas diferenças uma mais valia e não uma forma de ignorar, fazer mal ou mesmo ridicularizar os outros.
As crianças são crianças, mas nós adultos temos muito que aprender com elas; como adultos poderiamos ver e ter mundo aos olhos das crianças...o que não acontece.
Pensem nisto.

Boa semana

1 comentário:

Florinda disse...

Oi Vitor!
Gostei imenso desse post, e somente Deus sabe como o compreendo, sabe... sabe não sou negra, mas tenho algo que faz me sentir diferente de tudo e de todos.
E já vai perceber o porquê!
Meu nome é Florinda, e sou deficiente motora, não posso andar nem me sentar, mas como "Parar é morrer" tenho esse blog e mais 16, e um site dos meus trabalhos http://inda.no.sapo.pt/ acho que estou a "respirar" é por algo, por isso é bom viver.
Olha como são poucas as pessoas que me aceitam como sou prefiro deixar aqui o meu e-mail se o quiseres adicionar no msn é consigo indaflor_8@sapo.pt beijinhos e uma boa segunda-feira.